A 1ª Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia (Agritec), que se encerrou no último sábado (10), no município de Açailândia, atraiu cerca de 15 mil pessoas, incluindo expositores e visitantes durante o dia e o público da programação cultural à noite. A Agritec faz parte das ações do Governo do Estado para desenvolver a agricultura familiar no Maranhão, como estratégia de mudança social e econômica no Estado. A Agritec da cidade de Açailândia foi aberta pelo governador Flávio Dino, na última quinta-feira (8).

As Agritecs têm o objetivo de garantir o acesso do agricultor familiar ao conhecimento e às novas tecnologias, de modo que ele possa melhorar a produção quantitativa e qualitativamente. Mas, além disso, as feiras são um espaço reservado à divulgação e comercialização dos produtos dos agricultores familiares e de acesso às instituições financeiras, entre outras oportunidades.

Na Agritec de Açailândia, que também foi chamada de Feira do Cerrado Amazônico, porque reuniu agricultores familiares de 23 municípios do Cerrado Amazônico, os espaços de comercialização de produtos garantiram um volume de negócios de R$ 35.670. O evento mexeu com a economia local. Os agricultores familiares negociaram produtos, como galinha, frutas, hortaliças, artesanato e derivados do coco babaçu; e comerciantes, fornecedores de serviços e empresários da rede hoteleira também ganharam com o acontecimento inédito na região.

De acordo com o governador Flávio Dino, a realização da Agritec demonstra que a atenção com a agricultura familiar é fundamental para o desenvolvimento sustentável do estado. “Para haver desenvolvimento para todos é fundamental que, no Maranhão, cuidemos da agricultura familiar e do extrativismo, que são o caminho certo para incluir as pessoas no progresso, no desenvolvimento e no crescimento da economia”, afirmou.

Outros R$ 150 mil foram movimentados com o financiamento do Banco do Nordeste para os produtores de Açailândia investirem na produção de leite e derivados e na compra de uma ordenhadeira.

Movimentos sociais

O Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) participou da Agritec Açailândia com a oferta do curso de ‘Artesanato de Babaçu’, que apresentou experiências em execução, material para processamento e beneficiamento do coco e ‘trançagem’ da palha de babaçu. “A participação do Movimento durante a feira foi muito positiva, estamos levando bons resultados tanto pelas experiências de aprendizado, quanto pela divulgação e comercialização de caixas de farinha de babaçu, azeite e sabonete”, disse Ana Flávia Azeredo, representante do MIQCB.
O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) também participou intensamente do evento com exposições e comercialização de seus produtos (alface, arroz, feijão, milho verde, abacaxi, hortaliças, legumes e verduras). Estavam representando o Movimento as comunidades e assentados de João do Vale, Francisco Romão, Nova Vitória, Califórnia e Nova Conquista. Para a Agritec o Movimento solicitou e participou de cursos como criação racional de abelhas, produção de hortaliças, produção de leite e participaram também de mesas redondas e debates.

Sobre a Agritec

A Agritec é uma realização do Governo do Maranhão, por meio do Sistema de Agricultura Familiar – que envolve a Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma).
As feiras tecnológicas têm o objetivo de reunir produtores rurais e criar um espaço de troca, informações e experiências. “A agricultura familiar está sendo vista como grande propulsora do desenvolvimento do Maranhão. Estamos felizes com mais esta feira e nos próximos meses teremos em Caxias e Bacabal”, afirmou o secretário de agricultura familiar, Adelmo Soares.
“Queremos que a Agritec continue sendo feita no Maranhão, não tem estado forte sem a Agricultura Familiar”, disse o presidente Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema), Chico Miguel.

Para Açailândia, o Governo do Estado ainda contou com o apoio de parceiros, como a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) e Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão, (Aconeruq), além da Prefeitura Municipal de Açailândia.

Em Açailândia, além do secretário Adelmo, também participaram da Agritec o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho, os secretários, Simplício Araújo (Indústria e Comércio), Clayton Noleto (Infraestrutura), Julião Amin (Trabalho e Economia Solidária), Márcio Jerry (Assuntos Políticos e Federativos), representantes do Sistema Agricultura (Fortunato Macedo Filho, presidente da Agerp, Mauro Jorge de Melo, presidente do Iterma), deputados estaduais, lideranças políticas e representantes de movimentos sociais.

CNH Rural

Durante o lançamento da Agritec em Açailândia, o governador Flávio Dino sancionou a lei que concederá carteiras de habilitação gratuitas a produtores rurais de baixa renda em todo o estado por meio do programa ‘CNH Rural’. O número de vagas anuais a serem oferecidas pelo programa será definido por Decreto do Poder Executivo. As vagas serão distribuídas nos 14 territórios que compõem o Programa de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Também durante os três dias de feira, o Espaço Viva Cidadão, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), emitiu 118 documentos de identidade e 83 cadastros de pessoas físicas (CPF).
 

Texto: Claudilene Maia | ASCOM SAF




by 11:48 0 comentários