O concurso para professor do Estado ofertará uma das melhores remunerações do país. O salário-base mensal é de R$ 4.985,44 (vencimento e mais 104% de Gratificação de Atividade do Magistério), para jornada de 40 horas semanais.
Na manhã de domingo (20), candidatos de todo o país participaram do concurso público promovido pelo Governo do Maranhão para recomposição do quadro de professores da Secretaria Estadual de Educação (Seduc). As provas objetivas foram realizadas em São Luís e em outras oito cidades do estado. 

Ao todo, foram disponibilizadas 1.500 vagas; exatas 83.468 pessoas se inscreveram para concorrê-las, um marco histórico dos concursos para o segmento no estado. O salário-base mensal é de R$ 4.985,44 (vencimento e mais 104% de Gratificação de Atividade do Magistério), para jornada de 40 horas semanais.

Mais de 75 mil pessoas compareceram aos locais de prova. As provas objetivas tiveram duração de quatro horas. Foram 70 questões de múltipla escolha, divididas em conhecimentos gerais, língua portuguesa, noções de informática, fundamentos da educação, legislação básica da educação e conhecimentos específicos. A próxima etapa do concurso prevê prova de títulos, de caráter classificatório.

O valor do salário oferecido atraiu professores de várias regiões do Brasil, que vieram a São Luís especialmente para se submeter ao certame. 

Candidatos de outros Estados
Os três amigos Micilene Vieira, 28 anos, Cristiane Barbosa, 27 anos, e Allyson da Silva, 23 anos, vieram em uma excursão de Parnaíba (PI) e fizeram as provas para o cargo de professor de Língua Portuguesa.

Eles já lecionam na cidade onde moram e estudam há mais de um ano para buscar novas oportunidades. Micilene trabalha pela manhã e à tarde, mas aproveitava as noites para ir ao curso preparatório para concursos. 

“Estamos aqui porque entendemos que há valorização do profissional”, comenta Cristiane Barbosa. 

“A gente já trabalha na área e o conteúdo que damos é o que cai aqui na prova. Então, está tudo fresquinho na mente, enquanto outros não trabalham na área e não tem essa proximidade com os temas”, comenta Allyson Silva.

Estrutura 

A organização do concurso em todo o estado contou com mais de seis mil pessoas, que trabalharam na logística, suporte e fiscalização. Além de São Luís, o concurso também foi aplicado em Bacabal, Balsas, Caxias, Imperatriz, Pinheiro, Timon, Codó e Santa Inês. Dois fiscais foram postos em cada sala de aula para a condução do processo e do protocolo das provas objetivas. A Polícia Militar do Maranhão também reforçou o patrulhamento nas entradas dos colégios com maior contingente de candidatos e a segurança interna dos prédios foi realizada por segurança privada.

Pane elétrica na FACAM

De acordo com a Fundação Sousândrade, examinadora do concurso, na faculdade Facam, uma pane elétrica impediu a realização das provas no local pelos candidatos. Em função da interrupção do funcionamento da energia elétrica no prédio, exclusivamente as provas para os cargos de Matemática, Educação Física e Química foram anuladas. Todos os inscritos para estas modalidades serão convocados para provas objetivas em nova data a ser divulgada pela Fundação Sousândrade.

Reforço à economia do Estado
O concurso público para professores da Rede Estadual de Ensino, além de valorizar a categoria injetará R$ 119.126,936 na economia maranhense em 2016, segundo dados da Secretaria Estadual de Planejamento e Orçamento (Seplan). 
O incremento na economia gerado pelos investimentos em educação foi acompanhado de gestos de valorização, já que os concursos realizados anteriormente eram de 20h, no qual o professor licenciado em exercício goza do piso de R$2.492,72. Já o especialista com jornada de 20h, recebe R$ 2.737,10. Para o professor com doutorado o piso é de R$ 2.798,20, seguindo jornada de 20h.

by 08:43 0 comentários