Mais um fato lamentável movimentou hoje o Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão e associações de Cabos e Soldados.

O caso ocorreu na cidade de Porto Franco, quando numa abordagem o soldado Breno, do 14ª BPM, se identificou na noite de ontem ao aspirante Carlos, do 12º BPM. que estava no comando da Guarnição do Comando Tático, e foi agredido a tapas e empurrões pelo superior.
Um primo do soldado foi fazer uma ligação de seu celular para comunicar o fato ao pai do militar agredido e teve seu aparelho tomado na marra e quebrado. O comando do 14° BPM lamentou o ocorrido e já comunicou ao Comando Geral da PM para que as providências possam ser tomadas.

Abaixo a nota de Repúdio da Associação de Cabos, Soldados e Bombeiro Militar de Imperatriz, Açailândia e Região Tocantina:

A Associação Regional de Cabos e Soldados da Polícia e Bombeiro Militar de Imperatriz, Açailândia e Região Tocantina (ARCSPMIA), vem através desta, repudiar a conduta agressiva e inaceitável do Aspirante Carlos do 12° BPM de Estreito, quando da abordagem ao SD Brenno do 14° BPM na noite de ontem, no carnaval da cidade de Porto Franco, onde, mesmo se identificando como Policial Militar, o referido Aspirante já chegou empurrando o SD Brenno e lhe desferindo vários tapas no rosto, tudo isso na presença de vários amigos do soldado e de muitos foliões que se encontravam no local, deixando o SD Brenno em situação vexatória e constrangedora, mostrando, dessa forma, este Aspirante total despreparo para o serviço Policial Militar e conduta completamente contrária ao Estado Democrático de Direito.

Ademais, o SD Brenno, é um soldado operacional, disciplinado, respeitador, sempre cumpriu com as suas obrigações e tem se destacado muito bem no seu trabalho.

Aproveitamos o ensejo e informamos a todos que não aceitamos este tipo de conduta e condenamos todo e qualquer tipo de violação à honra, à moral e integridade física dos Policiais e Bombeiros Militares do Maranhão.

Neste contexto, informamos também que o Setor Jurídico da Arscpmia já está tomando as providências cabíveis que o caso requer, para que fatos desta natureza não voltem a acontecer.

Portanto, diante dos fatos, solicitamos e esperamos que o Cmdo do 12°BPM, bem como, o CMT Geral da PMMA tome as providências cabíveis.

“UNIDOS SOMOS FORTES”

Ass.: Sgt Adelino
Presidente da Arscpmia

by 22:50 2 comentários