A Força-Tarefa Previdenciária, integrada pelo Departamento de Polícia Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério Público Federal, com a finalidade de reprimir crimes previdenciários, deflagrou na manhã desta sexta-feira, dia 26 de fevereiro de 2016, nas cidades de São Luis, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, São Bento e Palmeirândia, todas localizadas no Estado do Maranhão, a Operação TÂNATO.
As investigações, iniciadas em 2013, levaram à identificação de um esquema criminoso no qual eram adquiridos cartões magnéticos, utilizados para saques de benefícios do INSS, após o falecimento dos segurados (saques post mortem). No decorrer das investigações, também foi comprovada a falsificação de documentos públicos para fins de requerimento de benefícios previdenciários e assistenciais.
A organização criminosa atuava desde 2009, tendo sido comprovada a participação de um servidor do INSS.

O prejuízo, inicialmente identificado, aproxima-se de R$ 4.300.000,00 (quatro milhões e trezentos mil reais). O valor do prejuízo evitado com a consequente suspensão desses benefícios, levando-se em consideração a expectativa de vida média da população brasileira, aproxima-se de R$ 6.500.000,00 (seis milhões e quinhentos mil reais).

A Polícia Federal cumpriu 28 (vinte e oito) Mandados Judiciais, sendo 16 (dezesseis) de busca e apreensão e 12 (doze) de condução coercitiva, além do arresto de bens e de veículos dos envolvidos.

Com relação ao servidor da autarquia previdenciária, foi determinada a suspensão do exercício das funções e de qualquer outro cargo que porventura exerça no âmbito da Previdência Social.

A operação contou com a participação de 60 (sessenta) Policiais Federais e de 02 (dois) servidores da Previdência Social, sendo denominada TÂNATO, que na mitologia grega era a personificação da morte, em alusão ao esquema criminoso cujo principal modus operandi seria o recebimento de benefícios após o falecimento dos segurados.

by 15:33 0 comentários