Nessa terça-feira (22), os Metalúrgicos convocados pelo STIMA realizaram assembléia geral para decidir e deliberar sobre as negociações salariais e econômicas. A assembléia foi conduzida pelo vice-presidente do STIMA, Antonio Brito. O encontro aconteceu na sede do sindicato, na Rua Marly Sarney, no centro de Açailândia.
Em 2016, o STIMA deliberado pelos trabalhadores apresentou em Assembléia 69 (sessenta e nove) cláusulas, entre econômicas e sociais, entre elas algumas polêmicas nesse momento econômico que passa o país e principalmente o setor produtor de ferro gusa.

Entre as cláusulas mais polêmicas estava a escala de trabalho. O Sindicato apresentou e defendeu o pedido da extinção da cláusula que trata da jornada de trabalho de 06hs em 05 turmas, sem a realização das horas extras que estava com data marcada para voltar, conforme a CCT 2015.

O STIMA lutou pela permanecia da escala de trabalho atual, com jornada de 08 horas diárias com inclusão de 2 horas extras por dia, que aumenta o salário do trabalhador em cerca de 35%. Após reunião entre os sindicatos, a cláusula das 6h foi tirada de pauta e extinta da CCT, conforme o pedido do STIMA.

Outro ponto polêmico vencido pelos trabalhadores através do STIMA foi o valor da cesta básica que será reajustada em 65% a partir desta sexta-feira (25). O valor da cesta básica foi reajustado de R$ 50,00 para R$ 80,00.

O STIMA apresentou a proposta junto ao SIFEMA e as empresas concordaram com o pedido do sindicato dos trabalhadores. As empresas siderúrgicas que ainda não adotaram o sistema de refeitório terão até o dia 30 junho de 2016, para se regularizarem. Fica proibida a alimentação em sistema de MARMITEX (quentinhas), todos os funcionários a partir do dia 01 de julho de 2016 terão o direito garantido de alimentação no refeitório com comida fornecida pela empresa, sem discriminação da função. Isso representa uma mudança administrativa que já durava mais de duas décadas.

Os metalúrgicos que participaram da assembléia geral deliberativa aprovaram por maioria total o piso salarial da categoria em R$ 900,00 com reajuste dividido em duas parcelas, sendo que a partir de 01 de março o piso salarial foi reajustado de R$ 880,00 para R$ 890,00. Em primeiro de setembro passará para R$ 900,00. A manutenção salarial foi aprovada em 7%, também divididos em duas etapas da mesma forma que o piso.

Devido as dificuldades econômicas vivenciadas hoje pelo Brasil e grandes recessões econômicas pelo mundo no mercado internacional em relação ao ferro gusa e aço, o STIMA e os trabalhadores tem o entendimento que a negociação esse ano foi feita no limite máximo dos dois lados, más que no final, mesmo com dificuldades a tentativa sempre foi preservar os empregos e recompor os salários e benefícios dos trabalhadores.

“Essa assembléia foi conduzida e deliberada pelos companheiros metalúrgicos, que compareceram após convocação feita pelo sindicato profissional. Fechamos a pauta final das negociações com o SIFEMA, fecharemos a CCT com 69 cláusulas aprovadas pelos trabalhadores e celebradas pelos sindicatos”, disse Antonio Brito (vice-presidente do STIMA).

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos

by 21:56 0 comentários