O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) exonerou nesta segunda-feira (9) o funcionário Thiago Augusto Azevedo Maranhão Cardoso, filho do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA).
O pedido de exoneração partiu do conselheiro Edmar Serra Cutrim e foi assinado pelo presidente do TCE-MA, João Jorge Jinkings Pavão, após uma denúncia do jornal "Folha de S.Paulo" de que Thiago Maranhão Cardoso estaria atuando como médico em São Paulo e fazendo pós-graduação na mesma cidade enquanto exercia uma função comissionada de expediente diário em São Luís.

O G1 apurou que Thiago Maranhão Cardoso foi nomeado em 19 de novembro de 2013 como Assessor de Conselheiro Edmar Cutrim, conforme publicado em Diário Oficial Eletrônico do TCE-MA. O salário segundo o Portal de Transparência do TCE-MA é de R$ 6.529,85.

Ainda de acordo com a publicação da Folha de S. Paulo, Thiago Maranhão Cardoso foi condenado ao pagamento de multa pela Justiça Eleitoral por ter feito doações a um valor superior ao permitido à candidatura do pai em 2010.

Thiago foi condenado em 24 de abril de 2014 pelo juiz Raimundo Ferreira Neto da 88ª Zona Eleitoral no Maranhão. Na decisão consta que ele doou em 2009 R$ 11.659 à campanha do Deputado Federal, excedendo o percentual de 10% do rendimento ano anterior à eleição, conforme estabelece o Art. 23 da Lei nº 9.504/97.

O rendimento declarado por Thiago em 2009 foi de R$ 88.464,36, portanto o valor doado não poderia ultrapassar o montante de R$ 8.846,44.
Thiago Augusto Azevedo Maranhão Cardoso é formado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), com residência médica em Anestesiologia no Rio de Janeiro e especialização em anestesia cardiovascular pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo.
O G1 tentou contato com o médico Thiago Augusto Azevedo Maranhão Cardoso, mas não conseguiu. O conselheiro Edmar Cutrim informou, via assessoria de impresa, que não irá se pronunciar sobre o caso.

Do G1/MA

by 06:32 0 comentários