Com o objetivo de continuar atendendo às reivindicações das famílias que vivem no Residencial Nova Esperança, o deputado Júnior Verde (PRB) conduziu reunião, na tarde desta quarta-feira (23), na Assembleia Legislativa, com representantes da própria comunidade, Secretarias de Direitos Humanos e de Infraestrutura, Funac e Cemar.

Desde 2015, a comunidade luta pela regularização da área onde vive. No ano passado, graças ao intermédio do parlamentar, foi firmado um Termo de Acordo entre a Associação da Nova Esperança, o Governo do Estado e a Fundação da Criança e do Adolescente (FUNAC) – proprietária do local -, beneficiando 325 famílias com a garantia de um loteamento. Agora, os moradores pedem saneamento básico, energia elétrica e melhorias na infraestrutura.

“Nós fizemos a nossa parte. Cumprimos o acordo e o governo nos cedeu 7 hectares, mas também precisamos de água, luz e ruas trafegáveis para viver”, disse Urubatan Castro, líder comunitário.

O deputado Júnior Verde explicou que continuará dialogando com o Executivo para dar os próximos passos e conseguir, finalmente, atender às necessidades da comunidade. “O que nós queremos é que estas famílias possam, o mais rápido possível, ter todos os seus direitos garantidos, inclusive os benefícios sociais inerentes à condição humana. Nós já demos um grande passo, que foi conseguir apaziguar o conflito e manter estas pessoas em suas residências. Tudo por meio de diálogos e discussões com os órgãos responsáveis”, acentuou.

Presentes na reunião, o secretário adjunto de Direitos Humanos, Jonathan Galvão; o diretor de Relações Institucionais da Cemar, José Jorge Soares, e o secretário adjunto de Projetos da Sinfra, Jorge Kusaba, que prestaram esclarecimentos sobre o andamento dos projetos que garantirão a chegada de iluminação pública e residencial, perfuração de poços artesianos e o asfaltamento de vias, de acordo com as reivindicações da comunidade.

“O Governo garantiu, após longos diálogos, o direito à moradia para mais de 300 famílias. Agora, continuamos a luta fazendo a interlocução, junto aos órgãos públicos estaduais e municipais, assim como da Cemar, uma empresa privada, para que os serviços públicos sejam entregues, justamente o que está sendo reivindicado. Por isso, é importante esse monitoramento periódico na comunidade”, explicou Jonathan Galvão.

Já o diretor de Relações Institucionais da Cemar, José Jorge Soares, fez orientações à comunidade e alertou sobre os perigos das ligações clandestinas. “Já enviamos uma equipe técnica ao local e identificamos sérios riscos. Nossa orientação é que os moradores procurem a Prefeitura de Paço do Lumiar e se cadastrem para terem o direito ao desconto na tarifa de energia. Não há necessidade de ligações por conta própria. Isso pode gerar sérios riscos à vida”, alertou José Jorge.

E sobre a infraestrutura local, o secretário Jorge Kusaba disse que toda a parte de drenagem e pavimentação já está em desenvolvimento. “Nós já estamos bem adiantados quanto a isso e, em linhas gerais, podemos dizer que conseguiremos concluir até o mês de julho o projeto para que, em seguida, a licitação seja feita e o empreendimento implantado”, frisou.

Fonte: Assembleia Legislativa

by 03:32 0 comentários