A Prefeitura de Açailândia, através das Secretarias de Infraestrutura e a de Meio Ambiente, realizou na manhã desta segunda-feira,04, no auditório do anfiteatro da Secretaria de Cultura, a Conferência Municipal de Saneamento Básico de Açailândia, reunindo representantes do poder público, entidades, associações e sociedade civil para discutir demandas, carências e alternativas relacionadas ao saneamento básico do município. A conferência tem como objetivo a implementação da política municipal na gestão do Saneamento Básico e durante este encontro preparatório foram abordados: Abastecimento de Água, Esgotamento Sanitário, Drenagem Urbana e Manejo de Águas Pluviais, Limpeza Urbana e Manejo de Resíduos Sólidos, visando também explorar muito bem os temas, formulando proposições relacionadas às formas de execução da Política Municipal de Saneamento Básico. De acordo com o secretário de Infraestrutura, Edivaldo Farias, os resultados da conferência, serão sistematizados em forma de documentos orientadores, juntando os temas estruturais e aspectos relevantes de cada eixo, que servem como referência do que foi discutido na conferência. “ A proposta foi envolver profissionais ligados ao setor, instituições e sociedade civil, na discussão de assuntos fundamentais para construirmos uma política pública de saneamento básico abrangente, com soluções eficazes e ambientalmente sustentáveis para o município de Açailândia. Com essas experiências, visões e abordagens diferenciadas foi possível enriquecer o debate”, argumentou o secretário Edivaldo Farias. Para o secretário de Meio Ambiente, Sininger Vidal, o plano visa proporcionar à população açailandense, o acesso ao serviço de saneamento básico de qualidade, abrangendo todos os cidadãos, segundo o que determina a Constituição Federal. “Há pelo menos seis anos, o município firmou um convênio com a Caixa Econômica Federal, incentivando fazer o Plano Municipal de Saneamento Básico. Para se ter uma ideia, toda e qualquer ação que o município venha a fazer relacionada a infraestrutura, saneamento básico, resíduos sólidos, além de outros problemas passivos ambientais, precisa ter posse deste plano, que servirá como bússola e a partir de agora, o município possa fazer um planejamento com a finalidade de resolver os problemas de abastecimento de água, esgoto, resíduos sólidos e a drenagem pluvial que em Açailândia, é um problema que causa muitas erosões. Então, a partir desta conferência, o plano segue para o Conselho Municipal de Meio Ambiente e em seguida aprovado pela Câmara de Vereadores, passando a ser Lei e a ser implantado dentro do município”, finalizou Sininger Vidal.
FONTE: ASCOM-PMA- Por: Antônio Maria

by 08:50 0 comentários