Foto Reprodução

Sem o candidato que está preso em Curitiba desde o dia 7 de abril e sem a definição do candidato a vice, o PT referendou neste sábado a indicação de Luiz Inácio Lula da Silva para disputar a Presidência da República pela sexta vez. Por ter sido condenado em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá, o líder petista preenche os requisitos para ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ter a candidatura impugnada. Internamente, a legenda discute a indicação de um plano B quando isso acontecer.

As discussões sobre a indicação ou não de um vice até domingo dominaram os bastidores da convenção. Pela manhã, dirigentes petistas se encontraram com caciques do PCdoB, mas não houve entendimento. Na convenção, o PT também anunciou o apoio de dois partidos à candidatura: PROS e PCO.

Na impossibilidade de contar com Lula no ato realizado em uma casa de eventos no centro de São Paulo, a organização distribuiu máscara com a imagem do ex-presidente para os militantes presentes. Na hora de fazer a aclamação simbólica da indicação de Lula, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, pediu que os presentes vestissem as máscaras. Lula também apareceu em um painel instalado no fundo dos palcos.

Nos discursos, dirigentes e lideranças petistas tentam propagar que o partido não trabalha com um plano B, apesar das discussões sobre o tema dominarem o dia-a-dia da legenda. Entre os cotados para assumir o posto de Lula, apenas o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad compareceu. O ex-ministro Jaques Wagner estava no encontro estadual do PT na Bahia. Ele pretende disputar o Senado no estado.Foto Reprodução

Em discurso, Gleisi disse que a candidatura de Lula confrontaria o “sistema financeiro”, a “mídia” e a “elite política do país”.

— Essa é a ação mais confrontadora que fazemos a esse sistema podre. A Justiça não faz outra coisa senão perseguir o Lula. Mas eles não vão conseguir não. De jeito nenhum, não vão tirar o Lula desse jogo. Tentaram inviabilizar Lula. Tentaram tirar Lula da discussão política. Não existe política no Brasil sem falar de Lula e sem falar de PT.

Em carta lida pelo ator Sergio Manberti, Lula disse que, pelo primeira vez, em 38 anos, não comparecia a um encontro nacional do PT. O ex-presidente reclamou das restrições colocadas a sua candidatura.

“Já derrubaram uma presidenta eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo.“

Fonte: O GLOBO

by 07:08 0 comentários